sábado, 20 de fevereiro de 2010

Marselha — Tomo #I

Toda a gente sabe como é que começa uma massagem e ninguém sabe como é que ela acaba” (disse um dia o comandante da Zona Marítima do Sul, Reis Ágoas, à TSF, a propósito de...)

Faz algum tempo que se impunha dar uma arrumação e actualizar o curral: passaram agora 6 meses que meia mula partiu de malas e bagagens para o sul de França. A ideia era trocar o cinzento-atlântico do Porto pelo cinzento-mediterrânico de Marselha. E foi isso que aconteceu. O móbil da deslocação era o de fazer um estágio no atelier Le Dernier Cri: 4 meses de trabalhos forçados, pronto para ser pau para toda a obra e terminar o período “sabático” com a impressão de um livro desenhado por mim.







Intoxicado pelo roquefort e evenenado pelo maldito Pastis Marselhense o tempo lá foi passando... Quando dei por ela as temperaturas tinham baixado uns 30 ºC, e tínhamos passado 4 meses a imprimir em serigrafia uma antologia gráfica massiva — Hopital Brut 9, que se desdobra numa centena de autores dos mais diferentes quadrantes e registos iconográficos. Para além de participar com 2 desenhos (como o compatriota André Lemos), as minhas impressões digitais estão espalhadas um pouco por todo o volume, já que fiz desde manipulação digital e analógica das imagens, montagem dos planos de impressão, afinação das cores, até impressão, guilhotinagem, acabamentos finais e o diabo que o carregue! Quatro meses de muita transpiração, uma vez que este infernal HB9 foi verdadeiramente o tour de force da minha estadia por estas bandas. Pelo meio, impressão de muitos cartazes, nomeadamente os delírios maléficos do Dave2000 para o mítico refúgio de L’Embobineuse, capas de disco, flyers e outras edições de menor tiragem.








(à esquerda: E.F.Q.Q.C.M.C.)


(à direita: The Immoral Funky Chicken)

Enquanto cozinho o meu livro em lume brando, e para não deixar as máquinas enferrujar, imprimimos esta semana o poster Monsieur Pignon & The Immoral Rotten Chicken’sLe Souffle Au Coeur”. Uma tiragem de 100 exemplares (c/ 3 cores), de um desenho que fiz originalmente para o próximo número da revista Detritos, cujo lançamento está previsto para finais de Março, algures no Porto. O poster poderá ser adquirido nessa altura, mas aceitam-se reservas...











Digna de registo foi ainda a nossa passagem em fins de Janeiro pelo festival de Angoul-Merde. À invasão do bar Minage sob o olhar vanguardista, mas por vezes ciclópico, do general Pakito Bolino, a liderar a trupe Dernier Cri, juntaram-se o projecto Mike Goes West e uma modesta aparição da Qu’Inferno (uma vez que não se proporcionaram as condições para levar outras publicações da Mula).













À parte a insuportável histeria colectiva que um festival daquelas dimensões desencadeia, e a quantidade assustadora de comics-freaks por m2, foram momentos bem passados (como o bife!) dentro do refúgio do Minage, e uma oportunidade única de conhecer uma data de novos projectos editorais sintonizados na nossa frequência (Komikaze, Turbo Comics , Arbitraire, etc...) e rever os parceiros da Stripburguer com os quais iremos colaborar no próximo número.





Mal regrássemos de Angoulême e com muito poucas horas de descanso, montamos a exposição Mike Goes Mars, no fabuloso estúdio da companhia de teatro das marionetas punk-barrocas Buchinger’s Boots, que não obstante serem meus vizinhos, são dos projectos mais interessantes com os quais me cruzei por estas bandas.



(Les 400 Coupes de Mr. Mouton pour Mr. Lapin)









(1 Sr.Frango vendido & 1 Pakito-Saci)







(continua...)

Um comentário:

galeria de antares disse...

juer!! de puta mai!!!! apertas e a furar cacholas!!!

liqen